Por Carolina Cavalcanti Pedrosa

Tempos sombrios expõem o que de melhor e pior há em todos nós. Não é fácil passar por eles, e nunca saberemos por quanto tempo durarão. Contudo, são nesses momentos que precisamos levar o melhor de nós para o outro, para o mundo, para que possamos nos curar e curar-nos como um todo. Para tentar auxiliar nesse momento desafiador, trago um livro, um filme e um poema, um pouquinho de luz para nos guiar nesse caminho.

Fiquem bem, lavem as mãos e se cuidem.

Aproveitem as dicas da semana, e até a próxima!!

Dica de Leitura: “O Mundo que Habita em Nós”, de Liliane Prata

Um livro leve e reflexivo, companheiro ideal para os dias difíceis. Essa obra nos ajuda a entender mais do mundo e de nós mesmos, aproximando–nos de nossa essência. Liliane escreve de uma maneira fácil e deliciosa, uma indicação que traz também um desejo de cura. “(…) não precisamos compreender o porquê das situações para aceitar que elas nos aconteceram e então nos acalmar e seguir em frente. Assim como podemos aceitar que a dor faz parte de ser humano e de estar no mundo, podemos nos reconciliar com o mistério daquilo que não somos capazes de compreender.”

Aproveito para dizer que adoro tudo o que ela escreve, uma escritora para se ler e acompanhar de perto. Recomendo também “Covardes”, um livro daqueles que só se para na última página; adianto que é um livro pesado, mas muito bem escrito.

 

 

Dica de Filme: “Frances Ha”

Escrito por Noah Baumbach e Greta Gerwig, dirigido por Noah e protagonizado por Greta, ambos concorrentes ao Oscar de roteiro em 2020 (em filmes dirigidos por eles, ele por “História de um Casamento” e ela por “Adoráveis Mulheres”, um casal cujos trabalhos vale a pena acompanhar),  “Frances Ha”conta a história de Frances, uma mulher normal, de trinta e poucos anos, com seus erros, acertos, sonhos e tropeços. Uma história que nos mostra que esta tudo bem não estar tudo bem, não ter nada saído como o planejado e não termos ideia para onde vamos. Em tempos de crise, um filme que conforta e nos mostra que não estamos sozinhos, que sempre temos alguém para contar, e que são nas imprevisibilidades da vida que de fato vivemos.

Poema da Semana

“Entre nós, terra, ar e saudade.

Sinta minha voz no vento,

Meu beijo em cada entardecer.

Vislumbramos a mesma noite,

Que nasce estrelada por saber

Que mesmo separados,

Estamos juntos…”

(Carolina Cavalcanti Pedrosa)

Boa leitura e bom filme, e até a próxima!

Para saber mais sobre a nossa Carol, acesse o site www.carolinacavalcantipedrosa.com.br, espaço onde ela compartilha seus textos, poemas e opiniões.