SOBRE A VIDA

– “Fomos maus expectadores da vida se não enxergamos também a mão que cuidadosamente – mata”

–  “E aqueles que foram vistos dançando foram julgados insanos por aqueles que não podiam escutar a música”

SOBRE A VIOLÊNCIA

– “Sob condições de paz o homem guerreiro ataca a si mesmo”

– “O criminoso com bastante frequência não carece da envergadura de seu ato: ele o deprecia e calunia”

– “Ao nosso impulso mais vigoroso, o tirano presente em nós, não apenas nossa razão como também nossa consciência se submete”

– “Aquele que luta contra monstro deve cuidar para que ele próprio não se converta num monstro. E quando olhas fixamente por muito tempo para um abismo, o abismo também olha fixamente para ti”

SOBRE O CONHECIMENTO

– “É horrível perecer de sede no mar. Tendes que salgar a vossa verdade tanto que ela não possa mais sequer – saciar a sede?”

– “O encanto do conhecimento seria mínimo se tanta vergonha não tivesse que ser sobrepujada no caminho para ele”

– “Se treinamos a consciência, ela nos beija à medida que nos morde”

SOBRE O IDEALISMO

– “Como? Um grande homem? Tudo que vejo é o ator de seu próprio ideal”

SOBRE A MULHER

– “A mulher aprende a odiar na medida em que desaprende a fascinar”

– “Por trás de toda sua vaidade pessoal, as próprias mulheres sempre apresentam seu desprezo impessoal – pela mulher”

SOBRE O POETA

– “Poeta se comportam impudentemente em relação às suas experiências: exploram-nas”

SOBRE O DESEJO

– “Por fim, amam-se os próprios desejos e não aquilo que é desejado”

SOBRE O ORGULHO

– “”Eu fiz isso”, declara minha memória. “Eu não posso ter feito isso”, – diz meu orgulho, e se mantém inexorável. Finalmente, a memória cede.”