Categoria: Poemas

Não Dizer Muito

não dizer muito que as palavras para isso já não servem no castelo vivia um poeta (inútil) entre os guerreiros o sonho do poeta (inútil) era salvar alcina enclausurada na torre houve um ataque, uma luta, e o poeta (inútil), mais...

consulte Mais informação

Soneto

As grades, de uma vez, cada vez mais junto de mim e de si mesmas – fechando o cerco em torno do meu vôo, quando em vôos me perco por além deste meu ser quase defunto. Já não blasfemo, não peço, não pergunto: se houvesse...

consulte Mais informação

Tarefa

Morder o fruto amargo e não cuspir mas avisar aos outros quanto é amargo, cumprir o trato injusto e não falhar mas avisar aos outros quanto é injusto, sofrer o esquema falso e não ceder mas avisar aos outros quanto é falso;...

consulte Mais informação

Poética

Eu quisera ser claro de tal forma que ao dizer —rosa! todos soubessem o que haviam de pensar. Mais: quisera ser claro de tal forma que ao dizer — já! todos soubessem o que haviam de...

consulte Mais informação

Fala

Tudo será difícil de dizer: a palavra real nunca é suave. Tudo será duro: luz impiedosa excessiva vivência consciência demais do ser. Tudo será capaz de ferir. Será agressivamente real. Tão real que nos despedaça. Não há piedade...

consulte Mais informação

Permissão

Gostaria de dançar meu último verso Preso ao seu corpo Atravessando o movimento Ao pé do ritmo. Essa rima que só existe Nas palavras Escondidas pela voz De quem canta Silente a harmonia das almas. Os passos Da cadência , A...

consulte Mais informação

Elegia

Abro a primeira porta. É uma sala enorme, repleta de sol. Um caminhão passa na rua, faz estremecer a porcelana. Abro a segunda porta. Amigos! bebestes da escuridão e tornaste-vos visíveis. Terceira porta. Um quarto estreito de...

consulte Mais informação

Poema de Posse

Então queres os meus versos? Pois bem, eu lhe dou, mas sob uma condição: prometer levar sempre contigo tudo aquilo que entrego na mais ávida palavra que sinto no momento da inspiração. Sim, de tudo: da minha alma aberta de medo...

consulte Mais informação

Amor à Vista

Amor à Vista Entras como um punhal até à minha vida. Rasgas de estrelas e de sal a carne da ferida. Instala-te nas minas. Dinamita e devora. Porque quem assassinas é um monstro de lágrimas que adora. Dá-me um beijo ou a morte....

consulte Mais informação

Delírio

A neve negra que escorre pelos telhados; Um dedo vermelho mergulha na tua testa, No quarto despido afundam-se nevadas azuis – Os espelhos mortos dos amantes. Em pesados pedaços se desfaz a cabeça e contempla As sombras...

consulte Mais informação

O Sol

Todos os dias o sol amarelo aparece sobre a colina. Bela é a floresta, o animal escuro, O homem, caçador ou pastor. Avermelhado, o peixe sobe no regato verde. Sob o céu redondo O pescador segue, silencioso, na canoa azul. Lenta...

consulte Mais informação

Boêmias

A Rosa Monteiro Quando me vires chorar, Que sou infeliz não creias; Eu choro porque no Mar Nem sempre cantam sereias. Choro porque, no Infinito, As estrelas luminosas Choram o orvalho bendito, Que faz desabrochar as rosas. Do...

consulte Mais informação

Súplica

Se tudo foge e tudo desaparece, Se tudo cai ao vento da Desgraça, Se a vida é o sopro que nos lábios passa Gelando o ardor da derradeira prece; Se o sonho chora e geme e desfalece Dentro do coração que o amor enlaça, Se a rosa...

consulte Mais informação
Carregando

Publicidade

Categorias

0