Bertolt Brecht

por jul 30, 2018Poetas0 Comentários

Euger Berthold Friedrich Brecht nasceu no dia 10 de fevereiro de 1898, em Augsburg, estado da Baviera, na Alemanha. Considerado um dos maiores dramaturgos do século XX, criador do “teatro épico anti-aristotélico”, também foi um grande poeta e romancista, com obras que abordavam temas políticos e sociais e que causavam forte impacto na elite dominante da época.

Ainda cursando Medicina, na cidade de Munique, Brecht foi chamado para servir o exército alemão como enfermeiro durante a Primeira Guerra Mundial. Esse período foi determinante para a sua formação ideológica, principalmente direcionada às críticas do sistema capitalista e um novo olhar sobre o papel da sociedade na política, influenciado pela filosofia marxista. Essa ideologia o fez ingressar, em 1919, no Partido Independente Socialista.

As obras literárias de Brecht possuíam vieses pedagógicos e de conscientização, utilizando uma escrita reflexiva, mas sem perder a sensibilidade e o poder de entreter a leitura. As palavras de Bretch buscam explicar o mundo para transformá-lo em seguida.

Bertolt Brecht faleceu no dia 15 de agosto de 1956, em Berlim, Alemanha. Dois anos antes de morrer, iniciou a publicação de suas obras completas.

Poemas de Bertolt Brecht:

Intertexto

Primeiro levaram os negros Mas não me importei com isso Eu não era negro Em seguida levaram alguns operários Mas não me importei com isso Eu também não era operário Depois prenderam os miseráveis Mas não me importei com isso Porque eu não sou miserável Depois...

ler mais

Há Homens que Lutam um Dia, e são Bons

Há homens que lutam um dia, e são bons; Há outros que lutam um ano, e são melhores; Há aqueles que lutam muitos anos, e são muito bons; Porém há os que lutam toda a vida Estes são os imprescindíveis

ler mais

Epitáfio

Escapei aos tigres Nutri os percevejos Fui devorado Pela mediocridade

ler mais

A Verdade Unifica

Amigos, gostaria que soubésseis a Verdade e a dissésseis! Não como cansados Césares fugitivos: Amanhã vem farinha! Mas como Lenine: Amanhã à noitinha Estamos perdidos, se não... Ou como se diz na cantiguinha: Irmãos, com esta questão Quero logo começar: Da nossa...

ler mais

Louvor do Revolucionário

Quando a opressão aumenta Muitos se desencorajam Mas a coragem dele cresce. Ele organiza a luta Pelo tostão do salário, pela água do chá E pelo poder no Estado. Pergunta à propriedade: Donde vens tu? Pergunta às opiniões: A quem aproveitais? Onde quer que todos calem...

ler mais

De que Serve a Bondade

1 De que serve a bondade Quando os bondosos são logo abatidos, ou são abatidos Aqueles para quem foram bondosos? De que serve a liberdade Quando os livres têm que viver entre os não-livres? De que serve a razão Quando só a sem-razão arranja a comida de que cada um...

ler mais

Poetas similares a Bertolt Brecht

  • Artur Azevedo
  • Federico Garcia Lorca

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

Categorias