José Martí

por nov 16, 2018Poetas0 Comentários

José Julián Martí Pérez nasceu no dia 28 de janeiro de 1853, em Havana, Cuba. Considerado um dos maiores pensadores cubanos de todos os tempos, conhecido em seu país como “El apóstol” (“O Apóstolo”), também foi um mártir de seu povo no processo de independência cubana contra a colonização espanhola, sendo o criador do Partido Revolucionário Cubano (PRC). Como poeta, José Martí foi precursor do Modernismo, com grande influência nas letras hispano-americanas.

Pensador prolífico, José Martí desde jovem demonstrava inquietude em abordar assuntos cívicos e simpatizava com os ideais revolucionários que começavam a ser introduzidos em Cuba. Entendia a literatura como uma expressão social, defendendo a poesia como uma raiz cravada na terra. A principal influência intelectual na vida de José Martí foi Rafael Maria de Mendive, a quem conheceu em Havana enquanto frequentava a escola secundária. A partir dos ideais de Mendive, o poeta começou a participar da política cubana escrevendo manifestos e organizando a distribuição de publicações que continham ideias separatistas no começo da Guerra dos 10 Anos.

Em 1869, José Martí foi preso por 6 meses por publicar panfleto de cunho separatista chamado “El Diablo Cojuelo”, além do periódico La Patria Libre. Sua família conseguiu o indulto em 1871, trocando sua pena inicial pela deportação à Espanha, país em que Martí publicou o manifesto “El Presidio Politico em Cuba”, sua primeira denúncia de grande relevância que mostrava a crueldade com que os presos cubanos eram tratados. Nessa período, tornou-se conhecido entre os intelectuais da época e obteve, em 1874, doutorado no curso de Leis, Filosofia e Letras pela Universidade de Saragoça.

De volta ao seu país, continuou a comandar diversas ações políticas pela liberdade cubana. No entanto, junto a um contingente pequeno de cubanos patriotas, em 1895, deparou-se com soldados espanhóis nas cercanias da cidade de Dos Ríos. No confronto, acabou sendo atingido e faleceu. Teve o corpo esquartejado e exibido à população. No dia 27 de maio, José Martí foi sepultado em Santiago.

José Martí morreu no dia 19 de maio de 1895, em Dos Ríos, Cuba.

Poemas de José Martí:

Amor de Cidade Grande

De orgia são e rapidez os tempos. Corre qual luz a voz; em alta torre Qual nave despenhada em sirte horrendo, Some-se o raio, e em ligeira barca O homem, como alado, fende o ar. Assim o amor, sem pompa nem mistério, Morre, logo que nasce, de saciado! Prisão é a casa...

ler mais

Do Tirano

Do tirano? Do tirano Denuncia tudo. E crava Com fúria de mão escrava A ignomínia do tirano. Dos erros? De cada erro Mostra o quanto possas, A trilha obscura, as poças, Do tirano e do erro. Da mulher? Pois pode ser Que morras de sua mordida, Mas não entortes tua vida...

ler mais

Meu Cavaleiro

De manhã cedo meu pequerrucho me despertava com um grande beijo. Logo montado sobre meu peito freios forjava com meus cabelos. Ébrios de gozo tanto eu como ele me esporeava meu cavaleiro: que suave espora seus dois pés frescos! E como ria meu cavaleiro! Como eu...

ler mais

Duas Pátrias

Duas pátrias eu tenho: Cuba e a noite. Ou as duas são uma? Nem bem retira sua majestade o sol, com grandes véus e um cravo à mão, silenciosa Cuba qual viúva triste me aparece. Eu sei qual é esse cravo sangrento que na mão lhe estremece! Está vazio meu peito, destruído...

ler mais

Homens de Mármore

Sonho com claustros de mármore onde em silêncio divino repousam heróis, de pé. De noite, aos fulgores da alma, falo com eles, de noite. Estão em fila; passeio Por entre as filas; as mãos de pedra lhes beijo; entreabrem os olhos de pedra; movem os lábios de pedra;...

ler mais

Cultivo uma Rosa Branca

Cultivo uma rosa branca, em julho como em janeiro, para o amigo verdadeiro que me dá sua mão franca. E para o cruel que me arranca o coração com que vivo, cardo, urtiga não cultivo: cultivo uma rosa branca.

ler mais

Poetas similares a José Martí

Trackbacks / Pingbacks

  1. Roberto Bolaño » Recanto do Poeta - […] José Martí […]
  2. Rubén Darío » Recanto do Poeta - […] José Martí […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

Categorias