Charles Bukowski

por nov 27, 2018Poetas0 Comentários

Henry Charles Bukowski Jr. nasceu no dia 16 de agosto de 1920, em Andernach, na Alemanha. Um dos pensadores mais polêmicos de sua época, é considerado o último “escritor maldito” da literatura, com ácidas críticas à sociedade, palavras fortes e desconcertantes, estereotipados em um estilo boêmio, temperamental e desbocado de ser. Apelidado de “Buk”, publicou mais de 45 obras, entre romances, contos e poesias, utilizando o pseudônimo Henry Chinaski. Seus livros mais famosos são “Cartas na Rua”, de 1971, “Factotum”, de 1975, “Mulheres” de 1978 e “Misto Quente”, de “1982”.

Apesar de alemão, Bukowski viveu quase toda a vida nos EUA. Filho de um soldado norte-americano, aos 3 anos ele saiu da Alemanha com a família, após a Segunda Guerra Mundial, para morar em Baltimore e depois nos subúrbios de Los Angeles. Sempre muito contestador, aos 15 anos de idade começou a escrever suas primeiras poesias e, em 1939, ingressou o curso de Literatura na Los Angeles City College, onde permaneceu durante dois anos. 

Charles Bukowski era visto como um ícone da decadência norte-americana e da representação niilista acentuada após a Segunda Guerra Mundial. Com humor sarcástico e estilo obsceno, era constantemente comparado a Henry Miller, Ernest Hemingway e Louis-Ferdinand. Deixou uma vasta obra caracterizada pela forma descuidada com a escrita e que abordavam temas e personagens marginais, como viciados em jogos, prostitutas, pessoas miseráveis, etc.

Com uma vida boêmia e desregrada, teve diversos problemas com o alcoolismo, chegando a ser hospitalizado com úlcera hemorrágica muito grave, em 1955.

Charles Bukowski faleceu no dia 9 de março de 1994, em São Pedro, Califórnia, Estados Unidos. Em seu túmulo está escrita a frase: “don’t try”, em português, “nem tente”.

Poemas de Charles Bukowski:

Um bom Poema é como uma Cerveja Gelada

um bom poema é como uma cerveja gelada quando você está mais a fim, um bom poema é um sanduíche de presunto, quando você está faminto, um bom poema é uma arma quando os bandidos te cercam, um bom poema é algo que te permite andar pelas ruas da morte, um bom poema pode...

ler mais

A Dor é uma Coisa Estranha

A dor é uma coisa estranha. Um gato que mata um pássaro, um acidente de automóvel, um incêndio… A dor chega, BANG, e eis que ela te atinge. É real. E aos olhos de qualquer pessoa pareces um estúpido. Como se te tornasses, de repente, num idiota. E não há cura para...

ler mais

Poema nos meus 43 Anos

Terminar sozinho no túmulo de um quarto sem cigarros nem bebida — careca como uma lâmpada, barrigudo, grisalho, e feliz por ter um quarto. … de manhã eles estão lá fora ganhando dinheiro: juízes, carpinteiros, encanadores, médicos, jornaleiros, guardas, barbeiros,...

ler mais

O Pássaro Azul

há um pássaro azul em meu peito que quer sair mas sou duro demais com ele, eu digo, fique aí, não deixarei que ninguém o veja. há um pássaro azul em meu peito que quer sair mas eu despejo uísque sobre ele e inalo fumaça de cigarro e as putas e os atendentes dos bares...

ler mais

Então queres Ser um Escritor?

se não sai de ti a explodir apesar de tudo, não o faças. a menos que saia sem perguntar do teu coração, da tua cabeça, da tua boca das tuas entranhas, não o faças. se tens que estar horas sentado a olhar para um ecrã de computador ou curvado sobre a tua máquina de...

ler mais

Outra Cama

outra cama outra mulher mais cortinas outro banheiro outra cozinha outros olhos outro cabelo outros pés e dedos. todos à procura. a busca eterna. você fica na cama ela se veste para o trabalho e você se pergunta o que aconteceu à última e à outra antes dela… é tudo...

ler mais

Confissão

bem, eles diziam que tudo terminaria assim: velho. o talento perdido. tateando às cegas em busca da palavra ouvindo os passos na escuridão, volto-me para olhar atrás de mim… ainda não, velho cão… logo em breve. agora eles se sentam falando sobre mim: “sim, acontece,...

ler mais

Poetas similares a Charles Bukowski

Trackbacks / Pingbacks

  1. Jack Kerouac » Recanto do Poeta - […] Charles Bukowski […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

Categorias