Fabrício Carpinejar

por mar 25, 2019Poetas0 Comentários

Fabrício Carpi Nejar, mais conhecido como Fabrício Carpinejar, nasceu a 23 de outubro de 1972, em Caxias do Sul, no Rio Grande do Sul. Com mais de 20 prêmios literários na carreira, foi escolhido pela revista Época como uma das 27 personalidades mais influentes na internet. Até o momento, publicou 43 livros entre poesia, crônicas, infanto-juvenis e reportagem.

Filho de dois grandes poetas brasileiros, Carlos Nejar e Maria Carpi, Fabrício Carpinejar juntou os seus sobrenomes para formar a sua assinatura como escritor. Isso aconteceu com a publicação de “As solas do sol”, em 1998. Sua principal obra é a antologia “Caixa de Sapatos”, de 2003, que lhe deu projeção nacional.

A obra poética de Carpinejar aborda a rotina, suas lembranças em família, de infância, relação com seus pais, além de uma profunda reflexão sobre a vida. Como jornalista, atua ativamente em todos os veículos de comunicação, principalmente em jornais, rádio e na internet. Seus “guardanapos digitais” viralizaram e as suas postagens ultrapassam mais de um milhão de leitores.

Desde maio de 2011 mantém a coluna que antes era ocupada por Moacyr Scliar no jornal Zero Hora. Em 31 de fevereiro de 2012, estreou como apresentador do programa A Máquina, na TV Gazeta. Em 2018, atuou como diretor, dramaturgo e ator na peça “De pai para filho”, com Carlos Nejar.

Poemas de Fabrício Carpinejar:

O Riacho é um Cavalo líquido

O riacho é um cavalo líquido,a pedra é um cavalo preso.As borboletas são flores com abelhas dentro.Liberdade é apenas mudar a forma,o que não diminui a solidãodo nascimento.

ler mais

A chuva é a Única Chama

A chuva é a única chamaque caminha contra o vento.Refaço seu lastrocom a insônia dos sapatos. Enlouqueço de ternura,indeciso entre o furor e o fulgor.Desperto amarrado em alguma estrela,servindo de referênciapara o alinhamento das esferas.

ler mais

Ocultemos-nos um Pouco

Ocultemos-nos um pouco. Que separes lembrançasa confiar aos outros. Que reserves aos amigosnoites de bar. Que não me aborreçascom pormenores de relações passadas.Que eu não mexa em tua correspondência.não reviste na tua bolsa.Que seja homem de uma única mulher,como...

ler mais

Poetas similares a Fabrício Carpinejar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

Categorias