Primo Levi

Poetas

Primo Levii nasceu no dia 31 de julho de 1919, em Turim, na Itália. Um dos escritores italianos mais importantes do século XX, foi sobrevivente do Holocausto, e fez da sua obra literária uma extensão da sua vida como prisioneiro em Auschwitz-Birkenau. Entre poemas, contos e memórias, destaca-se o livro “É isso um Homem?”, de 1947.

No ano de 1943, quando o primeiro ministro italiano Benito Mussolini é libertado da prisão por paraquedistas alemães, durante a Segunda Guerra Mundial, Primo Levi junta-se aos “partisans”, grupo soviético de resistência contra o fascismo e que atendia pela alcunha de “Movimento Justiça e Liberdade”. No entanto, sem o menor treinamento militar, ele e seus companheiros foram feitos prisioneiros pela milícia fascista de seu país. Ao descobrirem que Levi era judeu, o enviaram para um campo de picheleiros em Fossoli.

Em 11 de fevereiro de 1944, os prisioneiros do campo foram transportados para Auschwitz. Levi ficou 11 meses no chamado “campo da morte”, até ser libertado pelo Exército Vermelho, no dia 27 de janeiro de 1945. Dos mil judeus africanos mandados para Auschwitz, apenas 20 sobreviveram.

De volta a Turim, em junho de 1946, Primo Levi inicia sua carreira literária através da poesia. Com poemas bissextos e escritos apenas em períodos fervorosos de criatividade, ele apresenta, nas mais diversas fases da vida, ávidas memórias de sua sobrevivência enquanto prisioneiro: a proximidade da morte, a certeza da desumanização, além da luta pela liberdade, são os temas mais abordados pelo autor.

Sua atividade de escrita permaneceu marcada até o final de sua vida. Nos anos 1970 retornou à poesia publicando, por conta própria e anonimamente, 300 exemplares que trazia 23 poemas, a maioria deles inéditos. No entanto, só uma década depois, seus versos passaram a tomar maior conhecimento na Itália.

Além de escritor, Primo Levi também foi um químico brilhante. E, juntando os dois trabalhos, publicou o livro “O Sistema Periódico”. Em 2006, essa obra foi considerada, pela Real Academia de Londres, o melhor livro de ciência escrito até hoje.

Primo Levi faleceu em 11 de abril de 1987, em Turim, na Itália. Especula-se, até hoje, que se tenha suicidado.

Poemas de Primo Levi:

Agave

Não sou útil nem belo,Não tenho cores alegres nem perfumes;As minhas raízes roem o cimentoE as minhas folhas, marginadas por espinhos,Protegem-me, afiadas como espadas.Sou mudo. Só falo a minha linguagem de planta,Difícil de entender por ti, homem.É uma linguagem...

ler mais

Se isto é um Homem

Vós que viveis tranquilosNas vossas casas aquecidas,Vós que encontrais regressando à noiteComida quente e rostos amigos:Considerai se isto é um homemQuem trabalha na lamaQuem não conhece a pazQuem luta por meio pãoQuem morre por um sim ou por um não.Considerai se isto...

ler mais

O Canto do Corvo

Eu cheguei de muito longePara trazer a má notícia.Passei por cima da montanha,Atravessei a nuvem baixa,Espalhei no pântano meu ventre.Voei sem descanso,Por cem milhas sem descanso,Para encontrar seu ouvido,Para trazer-lhe a terrível novaQue lhe tire a alegria do...

ler mais

Poetas similares a Primo Levi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

Categorias