Odete Semedo

Odete Semedo

Odete Semedo

Poetas

Maria Odete da Costa Soares Semedo  nasceu no dia 7 de novembro de 1959, em Bissau, Guiné-Bissau. Poeta, professora universitária e política, atualmente ocupa o cargo de segunda vice-presidente do Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC). Como escritora, é considerada a principal poeta da sua geração no país, tendo recebido, em 2003, o prêmio de “personalidade literária”.

No ano de 1990, Odete Semedo licenciou-se em Línguas e Literaturas Modernas pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, em Portugal. Logo ao retornar ao seu país, assume a Coordenação Nacional do Projeto de Língua Portuguesa no Ensino Secundário, financiada pela Fundação Calouste Gulbenkian.

Sua jornada como escritora ganhou destaque quando fez parte da “Antologia de Literatura Francófona da África Ocidental”, editada em 1994. Seu primeiro livro, “Entre o Ser e o amar”, uma reunião de poemas, foi publicado em 1996. Nessa obra, Odete revela novas abordagens à geração literária de seu país, tratando de temas como as desilusões vinculadas à pós-independência e o sofrimento vivido pelos guineenses em busca de uma identidade nacional.

Em relação à sua obra poética, os versos de Odete Semedo revelam uma inquietude do indivíduo diante a sua própria existência. Ela expõe cenários e situações conflitantes de quem busca entender seu papel no mundo. Outro tema também muito explorado pela poeta e a natureza da língua como uma testemunha cabal da nossa relação com a vida.

Da metade da década de 90 até hoje, Odete Semedo passou a galgar várias posições políticas de destaque. Foi Diretora-Geral do Ensino da Guiné; Presidente da Comissão Nacional para a UNESCO – Bissau; Ministra da Educação Nacional (1997 a 1999) e Ministra da Saúde (2004 a 2005).

Em 2006 mudou-se para o Brasil para realizar o seu doutoramento em Letras. Na Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, em 2010, defendeu a tese de doutorado “As mandjuandadi – cantigas de mulher na Guiné-Bissau: da tradição oral à literatura”.

De volta ao seu país, de 2013 a 2014, Odete foi Secretária-Geral e uma das fundadoras da Associação de Escritores da Guiné-Bissau. Nessa época também assumiu a reitoria da Universidade Amílcar Cabral.

Atualmente, Odete Semedo trabalha como investigadora do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisa, para as áreas de Educação e Formação, de Bissau.

Poemas de Odete Semedo:

Cogito, ergo sum

Pensa não fala! aposta na tua existência Falando... podes quebrar da vida o encanto fazer do inferno um teu canto e inglória a folia alheia Continua pensando segue o exemplo do Vivêncio filho de Prudêncio jamais a sua voz se fez ouvir senão pela boca alheia Não...

ler mais

As minhas Lágrimas

As lágrimas escapuliram esboçaram no chão do meu rosto um fio de mágoa profunda queimando bem fundo Nenhum grito... nenhum gemido... palavra nenhuma letra alguma jamais traduziu tanto sofrer os olhos sentiram a minha gente viu E eu? E eu?

ler mais

Em que Língua Escrever

Em que língua escrever As declarações de amor? Em que língua cantar As histórias que ouvi contar? Em que língua escrever Contando os feitos das mulheres E dos homens do meu chão? Como falar dos velhos Das passadas e cantigas? Falarei em crioulo? Falarei em crioulo!...

ler mais

Poetas similares à Odete Semedo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

Categorias

0