Tomas Tranströmer

Tomas Tranströmer

Tomas Tranströmer

Poetas

Tomas Tranströmer nasceu a 15 de abril de 1931, em Estocolmo, Suécia. Considerado um dos maiores poetas suecos de todos os tempos, foi coroado com o Prêmio Nobel de Literatura, em 2011, aos 80 anos.

Tranströmer publicou o seu primeiro livro de poesias aos 23 anos. Intitulado “17 dikter” (“17 poemas”), já apresentava peculiaridades em sua escrita, principalmente o uso moderno dos versos livres, embora também tenha feito algumas experiências com linguagem métrica, influenciado pela disciplina horaciana. Sua obra ganhou grande repercussão dentro e fora de seu país, sendo ele o escritor sueco mais traduzido no mundo: em mais de 30 línguas.

Em 1990 foi vítima de um acidente vascular cerebral que lhe privou praticamente da fala e deixou pela metade a produção do seu livro “Minnena ser mig” (“As recordações vêm-me”). A obra acabou três anos mais tarde com a ajuda de sua esposa Monica. Desde então não publicou mais nada.

Em 2011, ao lado do poeta sírio Adonis, Tranströmer passou a ser muito cogitado para ganhar o Nobel de literatura, caso a Academia voltasse a premiar a poesia, algo que não fazia desde 1996, quando Wislawa Szymborska foi a vencedora. Ao ser o grande premiado, a Academia Sueca destacou a obra de Tranströmer como um marco para a escrita poética contemporânea, tratando-a como “austera e concreta, oferecendo imagens densas e diáfanas, além de uma nova via de acesso ao real”.

Tomas Tranströmer faleceu no dia 26 de março de 2015, em Estocolmo, Suécia.

.

Poemas de Tomas Tranströmer:

Pássaros Matinais

Desperto o automóvel que tem o pára-brisas coberto de pólen. Coloco os óculos de sol. O canto dos pássaros escurece. Enquanto isso outro homem compra um diário na estação de comboio junto a um grande vagão de carga completamente vermelho de ferrugem que cintila ao...

ler mais

Elegia

Abro a primeira porta. É uma sala enorme, repleta de sol. Um caminhão passa na rua, faz estremecer a porcelana. Abro a segunda porta. Amigos! bebestes da escuridão e tornaste-vos visíveis. Terceira porta. Um quarto estreito de hotel. Vista sobre um beco. Uma lanterna...

ler mais

Poetas similares a Tomas Tranströmer

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

Categorias

0