Allen Ginsberg

Poetas

Irwin Allen Ginsberg nasceu no dia 3 de junho de 1926, em Newark, Nova Jersey, Estados Unidos. Junto com Jack Kerouac e William S. Burroughs, formou o trio que iniciou a “Geração Beat”, na década de 50. Conhecido por uma alma libertina, sua obra literária ficou marcada pela contracultura, onde introduziu grandes críticas sociais, ávida militância política, fortes opiniões sobre uso de drogas, além de profundas reflexões sobre as religiões orientais.

Allen Ginsberg viveu uma infância conturbada, marcada principalmente por problemas emocionais de sua mãe que acreditava que o mundo conspirava contra ela e sua família. Durante esse período, ele descobria o seu desejo por outros meninos. Já na escola secundária, encantou-se com a obra poética de Walt Whitman (considerado o “primeiro beatnik”).

Ao ingressar na Universidade de Columbia, em Nova York, faz amizade com Lucien Carr e Jack Kerouac, que estudavam com ele, além de outros não estudantes, como William S. Burroughs e Neal Cassady (com quem teve relacionamento amoroso). Esse grupo de adolescentes rebeldes passavam o dia em meio às drogas, sexo e literatura. Mesmo sendo o mais jovem, Ginsberg estimulava os novos amigos a desenvolverem os seus talentos literários, enquanto eles lhe ajudavam a perder sua ingenuidade livresca.

Aos 29 anos, em 1955, Allen Ginsberg publicou o poema “Holw” (Uivo),  que lhe trouxe grande popularidade e reconhecimento. A obra, considerada por muitos como obscena e pornográfica (em uma época onde as leis tornavam atos homossexuais como crime), foi o livro de poesia mais vendido da história dos EUA, ultrapassando um milhão de exemplares. Dentre os temas mais abordados, o poeta vai da relação paranóica de sua mãe até denúncias contra as forças destrutivas do capitalismo e a conformidade da sociedade americana.

Influenciado por Chogyam Trungpa, budista tibetano e fundador do Instituto Naropa em Boulder, no Colorado, Ginsberg viaja o mundo e descobre o budismo. Nesse período se apaixona pelo também poeta Peter Orlovsky, que seria seu companheiro por toda a sua vida. Espiritualizado, parte por décadas de protestos não-violentos, sonhando com uma sociedade harmoniosa, onde coubessem todos os ideais e, por afinidade, todas as modalidades de contextos estranhos.

A escrita de Ginsberg oscilava entre o mantra e o sexo explícito; o sagrado e o profano, a busca espiritual e a incompletude material. Transitava entre a marginalidade e a cultura erudita. Na década de 70, sua coleção “A Queda da America” apareceu no anual National Book Award na categoria Poesia, em 1976. Em 1979, ele recebeu uma medalha de ouro da National Arts Club e foi incluído na Academia Americana de Artes e Letras.

Allen Ginsberg faleceu no dia 5 de abril de 1997, em Manhattan, Nova York, nos Estados Unidos.

Poemas de Allen Ginsberg:

Canção

O peso do mundoé o amor.Sob o fardoda solidão,sob o fardoda insatisfação o pesoo peso que carregamosé o amor. Quem poderia negá-lo?Em sonhosnos tocao corpo,em pensamentosconstróium milagre,na imaginaçãoaflige-seaté tornar-sehumano — sai para fora do coraçãoardendo de...

ler mais

Uivo – Parte I

Para Carl Salomon I  Eu vi as melhores cabeças da minhageração destruídas pela loucura… … famélicos histéricos nus, arrastando-sepelas ruas do bairro negro ao amanhecerna fissura de um pico, hipsters de cabeça ardendo pela ancestralconexão com um dínamo estrelando...

ler mais

Uivo – Partes II e III

Que esfinge de cimento e alumínio arrebentouseus crânios e devorou seus cérebrose a imaginação? Moloch! Solidão! Sujeira! Feiura! Latas de lixoe dólares inalcançáveis! Crianças gritandoembaixo das escadas! Garotos soluçandonos quartéis! Velhos chorando nas praças!...

ler mais

Poetas similares a Allen Ginsberg

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

Categorias