Martha Medeiros

por abr 17, 2019Poetas0 Comentários

Martha Mattos Medeiros nasceu no dia 20 de agosto de 1961, em Porto Alegre, Rio Grande do Sul. Uma das escritoras brasileiras de maior sucesso na atualidade, é autora de livros que ultrapassaram a marca de 1 milhão de vendas. Ela tem publicações traduzidas para outros países, como Inglaterra, França e Estados Unidos.

Apesar de escrever os mais diversos gêneros, foi na poesia que Martha Medeiros iniciou a sua carreira literária. Em 1985, publicou o seu livro de estréia, “Strip-Tease”, pela coleção “Cantadas Literárias”, da Editora Brasiliense, que anteriormente tinha lançado outros grandes autores como Caio Fernando Abreu, Paulo Leminski e Ana Cristina Cesar.

A boa crítica de “Strip-Tease” colocou Martha Medeiros na rota das revelações poéticas da época. Seu segundo livro, “Meia Noite e Um Quarto”, que de 1987, conta com a apresentação escrita por Caio Fernando Abreu, enquanto o terceiro livro “Persona Non Grata”, de 1991, tem a apresentação de Millôr Fernandes. O poeta, inclusive, ficou tão impressionado com a poesia de Martha que ilustrou um dos seus poemas na sua coluna no Jornal do Brasil.

Já consolidada como poeta, em 1993, Martha Medeiros e seu marido mudam-se para Santiago do Chile. Essa estada na capital chilena foi um divisor de água para as obras da escritora, que passa a escrever outros gêneros, principalmente crônicas, que foram publicadas no jornal “Zero Hora”, do Rio Grande do Sul.

Martha retorna ao Brasil em 1994 e começa a publicar em série. O ano de 1995 é marcado por dois lançamentos literários: o seu quarto livro de poesias, De Cara Lavada, de novo com apresentação de Caio Fernando Abreu. Já em 1998, a editora L&PM Pocket publica a compilação dos quatro livros de poesias, chamado “Poesia Reunida”.

Autora de 24 livros, Martha Medeiros também atua como colunista dos jornais “O Globo” e “Zero Hora”.

 

Poemas de Martha Medeiros:

Eu Minto

eu minto, confessome faço de boba, verdadeescondo a idade, me calo,me sinto tão mal, um infernorepresento um papel, principalsou mesmo uma atriz, infelizquem diz que eu não quero, eu consigoviver por um triz, enlouqueçote esqueço e te mato, te amoatrás de um muro,...

ler mais

Quando Chegar

quando chegar aos 30serei uma mulher de verdadenem Amélia num ninguémum belo futuro pela frentee um pouco mais de calma talvez e quando chegar aos 50serei livre, linda e forteterei gente boa ao ladosaberei um pouco mais do amore da vida quem sabe e quando chegar aos...

ler mais

Quem Morre?

Morre lentamentequem se transforma em escravo do hábito, repetindo todos os dias os mesmos trajetos, quem não muda de marcaNão se arrisca a vestir uma nova cor ou não conversa com quem não conhece. Morre lentamentequem faz da televisão o seu guru.Morre lentamentequem...

ler mais

Poetas similares à Martha Medeiros

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

Categorias