Igor Calazans

Poetas

Igor Calazans Abreu nasceu no dia 22 de abril de 1986, em Niterói, Rio de Janeiro. Jornalista e poeta, ele foi considerado em 2014, através do “Concurso Nacional Novos Poetas”, premiação realizada pela Editora Vivara junto com a Rede Brasil, uma das três principais revelações da poesia brasileira, com o seu poema “Grito de Liberdade” em destaque.

Igor Calazans é neto do poeta Nemecio Calazans, falecido em 2002, e que foi presidente e um dos membros fundadores do Cenáculo Fluminense de História e Letras. Com três livros publicados, “Devaneios: O Recanto do Poeta”, de 2015, “Palavras de Estimação”, de 2017 e “Como a Água que Bebo”, de 2019, suas obras abordam temas existencialistas, amorosos e do cotidiano, utilizando, na maioria das vezes, versos livres e contemporâneos, com rimas reflexivas e melodiosas.

Em 2017, junto à produtora de cinema, ReVoar Filmes, Igor lançou no Youtube, o canal de poesia “Recanto do Poeta”, no qual atores e atrizes encenam alguns de seus principais poemas publicados nos dois livros. Militante cultural, em 2019 idealizou o Movimento “Vespeiro Poético”, no Rio de Janeiro.

Poemas de Igor Calazans:

Causa Natural

Se eu fosse um peixe Morreria afogado. Se fosse formiga Morreria soterrado. Se fosse um pássaro, No ar, morreria asfixiado. Mas, como sou humano, Eu mato.

ler mais

Poema de Posse

Então queres os meus versos? Pois bem, eu lhe dou, mas sob uma condição: prometer levar sempre contigo tudo aquilo que entrego na mais ávida palavra que sinto no momento da inspiração. Sim, de tudo: da minha alma aberta de medo ao sangue pisado do tempo; Dos prantos...

ler mais

Solução

Busquei solucionar meus problemas de soluço e, ao invés da solução, me veio um SOLUÇÃO! Por pouco não engasguei, sufoquei naquele susto, e deparado a um espelho prendi respiração. Sem ar fiquei vermelho, mais um soluço veio, e dessa vez parou no meio reprochado à...

ler mais

Andarilho

Pelas calcadas calçadas, botas calçadas às botas calçadas do prumo. Tão leves percalços parecem descalços os pés que me calçam no mundo.

ler mais

Por Trás do Verso: Inverso

Amo o inverso que o cúmulo dos meus versos apresenta a cada um. Odeio escrever quando tentam descrever o meu ser, ao invés do merecer por trás de meus pensamentos. São imprecisos e desatentos os dizeres desses versos, tão qual suas medidas fitam à contradição. Suja,...

ler mais

Entrelinhas

Este é um quase poema de amor, Pois, não é só amor que estou sentindo... Na tal linha tênue, que se aproxima ao ódio, Se dissesse que também há remorsos, Meus versos não estariam mentindo. Por isso, não é superficialmente amorosa As linhas que trago evasivas; Entre...

ler mais

Os Sonhos são a Alma da Vida

Acorde e sinta que não existe sonho maior do que a própria vida. Reflita: Onde estou quando não sou? Serás mais um em meio a todos, que lastram suas verdades aos poucos e deixam coagir-se pelos princípios criativos daquilo que deveríamos ser? A não ser... Que deixemos...

ler mais

Como a Água que Bebo

Aprendi a me virar Revirando o que se vira Perco o céu mirando abaixo Topo o chão vendo pra cima Sei que há olhar soslaio Quando viro e não me mexo Tombo torto e quase caio Pelos lados do avesso. Mas, enfim, um ser contrário Também pode se encaixar? Quem sabe um dia,...

ler mais

Seis Dias

Por tão pouco você não me acertou em cheio, à distância de seis dias, mais preciso... Desde quando sinto os lábios do seu beijo e a saudade da semana sem sorriso. Talvez a falta trouxe fome, tua presença marcou a minha vida... Mas, depressa, esqueço-me do nome e dar...

ler mais

Depois

E assim, Quando todos estiverem atentos à imensidão do meu vazio, cortarão, como pétalas, as folhas solitárias dos meus livros e lerão o que deixei palavra por palavra. Frente a frente, cara a cara desses versos, saberás a origem que expresso os meus pesos carregados...

ler mais

Grito de Liberdade

Em seu gozo, mil alforrias escorrem no peito abertas sangrias, ao orgasmo da instância ser livre. Nas lágrimas, centenas de desejos açoitados pelo lar do ensejo, esvaem esmeradas o ardor que atinge. Na voz, dezenas de palavras cantadas soam roucas, trêmulas e pouco...

ler mais

Descrição

Não foi em Amor, não foi em Paixão, tampouco em Saudade... A palavra que sinto vai além dos sentidos que me dizem a verdade. Busquei (não aparecia vocabulário) e por páginas e páginas do dicionário nenhuma cingia esse ser. Então, numa livre-interpretação dessa vida a...

ler mais

Poetas similares a Igor Calazans

Trackbacks / Pingbacks

  1. Poeta Igor Calazans lança terceiro livro no Rio de Janeiro » Recanto do Poeta - […] poeta e jornalista Igor Calazans lançará, no próximo dia 5 de dezembro, o seu terceiro livro de poesia, intitulado…
  2. Nasce o Vespeiro Poético » Recanto do Poeta - […] pelos poetas e jornalistas Érica Magni e Igor Calazans, o Vespeiro Poético é um movimento cultural voltado para atividades…
  3. Vespeiro Poético discute poesia sob forma de denúncia » Recanto do Poeta - […] Com o título “Poesia como Artefato: Resistir & Renunciar”, os poetas e jornalistas Igor Calazans e Érica Magni receberão…
  4. Coluna Cartas de Carolina » Recanto do Poeta - […] muita honra dou início a esta coluna. Sou muito grata ao querido Igor Calazans pelo convite e espaço. Obrigada…
  5. A Salvação da Humanidade ou a Conta não Bate? » Recanto do Poeta - […] Por Igor Calazans […]
  6. Paulo Sabino » Recanto do Poeta - […] Igor Calazans […]
  7. Nemecio Calazans » Recanto do Poeta - […] História e Letras (CFHL), tendo ocupado a Cadeira n.6, do patrono Fagundes Varela. Avô do poeta Igor Calazans, publicou…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

Categorias

0